Deus acredita no seu potencial

domingo, 19 de maio de 2019


Sempre que você se deparar com alguma situação difícil de resolver, antes de pensar que não é capaz de resolver e desistir,  ore a Deus, peça ajuda à Ele, porque com certeza Ele acredita no seu potencial.

Foi assim com Moisés, quando Deus o mandou ir até faraó. Foi assim com Josué, com Gideão e tantos outros heróis da bíblia. Todos eles não acreditavam que eram capaz, mas Deus acreditava!

Por mais que você pense que não dará conta, Deus acredita que sim, que você será capaz e que você irá conseguir, por isso não desista, persista. No fim valerá a pena!

Semana passada eu me deparei com uma situação extremamente difícil no meu trabalho. Pensei em desistir, achei que não ia conseguir, que não era capaz. Mas eu ouvia uma voz me dizendo, “persista, acredito em você”! Eu orava e só ouvia Deus me dizer pra continuar. Um dia de cada vez.

Mesmo descrente, mesmo me arrastando, eu continuei. Pensei comigo, “não vou desistir, se Deus acredita em mim, eu vou continuar”. Não vou dizer que foi fácil. Teve dias que me senti exausta, sem forças nenhuma. Tive medo, não dormi direito, mas continuei.E no final eu consegui resolver! Mas sei que se não fosse Deus, não conseguiria.

Foi Ele e não eu, que acreditou no meu potencial. Foi Sua voz me dizendo pra prosseguir, que me levou à vitória. Por isso, antes de você desistir, por pior que seja a situação, não desista!

 Deus acredita em você.



 

Ele dá força ao cansado.

sexta-feira, 17 de maio de 2019


Ele dá força ao cansado, e aumenta as forças ao que não tem nenhum vigor. Isaías 40:29


Já houve momentos que achei que não ia suportar a pressão, momentos em que me senti tão esgotada que achei que não conseguiria continuar. Porém, o bom foi que não desisti, mesmo me arrastando, mesmo vendo tudo dando errado, mesmo não vendo uma saída, eu continuei crendo que tudo iria se ajeitar. Que Deus me socorreria no último segundo.

Por eu não ter desistido, o Senhor renovou minhas forças. Me mostrou um novo caminho e confirmou que jamais, em circunstâncias nenhuma, devemos desistir!

Deus é especialista em reviravoltas!

O que pra nós é impossível, para Ele é só uma oportunidade de mostrar o quanto é grande.

 Se tudo estiver dando errado na sua vida, ajoelhe e ore ao Senhor, peça pra Ele te fortalecer, que Ele te renove para continuar a batalha e nunca, jamais, em nenhuma circunstancia, desista! Creia que Deus não perdeu o controle sobre sua vida. Ainda que pareça o fim, não terminou.

A última palavra ainda é do Senhor!


 

Como fazer uma oração poderosa!

terça-feira, 14 de maio de 2019


Uma oração poderosa é aquela direta e objetiva. Não precisa ficar fazendo “firulas”, nem usar palavras difíceis e muito menos orar por horas e horas ao Senhor.

Eu penso que sendo humana, não tenho paciência quando a pessoa vem falar comigo, fica rodeando o assunto e parece que nunca vai chegar ao ponto certo do que quer. Então, creio que Deus também não gosta disso. Tanto que quando Jesus nos ensinou a orar, ele diz pra não usarmos de vãs repetições e nem falarmos muito.

 E orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque pensam que pelo seu muito falar serão ouvidos. Mateus 6:7  

 Durante minha vida toda orei de forma simples, objetiva e sincera. E, inúmeras vezes Deus me respondeu de modo sobrenatural e rápido! Não gosto de orar em línguas, minha oração é na minha língua nativa, agradeço ao Senhor pelas bençãos, peço aquilo que preciso e termino a oração em nome de Jesus. Simples assim.

O ser humano gosta de complicar as coisas. Acha que por Deus ser o todo poderoso há uma fórmula secreta para falarmos com Ele. Mas não é assim. É óbvio que temos que ter respeito ao nos dirigirmos a Deus, mas quanto mais simples formos, mais Deus nos responde. Temos que ser como crianças ao nos dirigirmos ao Pai.

Uma criança quando fala com seu Pai ela crê que será atendida, ela fala de maneira mais objetiva e simples possível e ela é sincera em seu coração. É assim que devemos ser com nosso Pai celestial. É essa a oração que Ele responde.

Muitas pessoas acreditam que para serem atendidas por Deus, precisam se esforçar em falar bonito, com palavras difíceis, por causa disso acreditam que não sabem orar. Orar é conversar com Deus e quando você conversa com alguém que ama, você não fica escolhendo as palavras certas, você simplesmente fala o que está sentindo e pede o que precisa.

Eu sempre termino minha oração em nome de Jesus. Porque não somos merecedores de nada, somos pecadores. O que move o coração de Deus é a marca do sangue de Jesus que temos em nós.

Quando fazemos uma oração em nome de Jesus, estamos lembrando o Pai do sacrifício do seu filho e isso move Seu coração a nosso favor. Jesus é nosso único e suficiente intercessor junto ao Pai. Não há outro! Por isso devemos concluir nossa oração em Seu nome.

Então, devemos crer que o Pai ouviu e irá nos responder. Amém.



 

A Bíblia e o Consumismo

domingo, 12 de maio de 2019






Falar de Finanças parece algo “pouco espiritual”, mas:
1. 565 versículos que falam de dinheiro;
2. No Sermão do Monte, dos 107 versículos, 28 falam de dinheiro;
3. Jesus fala sobre dinheiro ou riquezas em 13 parábolas;
4. Ageu 2.8 afirma que: “minha é a prata e meu é o ouro”; e Moisés (Dt 8.18) ensina que “é Ele que te dá força para adquirires riquezas…”;
5. Vivemos tempos de crise: O “Estado Voraz” – com inúmeros impostos PIS/COFINS/CIDE/Dólar/I.R./CPMF
6. Mas não há nada novo. Há 3000 anos (1 Samuel 8.11-18) Deus já avisava sobre os perigos do “Estado Voraz”:

É inegável que vivemos uma era de “aperto financeiro”. Temos dificuldades de adequar os nossos ganhos aos nossos gastos. O desemprego está em toda a parte e as despesas ocorrem em excesso. Quando existe salário, ele é sempre mais curto que o mês.

A nossa necessidade é poupar, no meio de uma cultura que incentiva o consumo desmedido e intenso. Buscamos qualidade de vida, mas não aferimos, com profundidade, o que é essa qualidade e entramos em situações de dificuldade que prejudicam nossa vida e nos levam até ao desespero.

Nunca foi tão necessário planejar, como nos dias atuais. Nos minutos à frente, queremos abordar exatamente REALIDADES PRESENTES nesse contexto de crise, procurando analisar a extensão das dificuldades e como planejar nossa vida financeira. Buscaremos, sempre, a orientação da Palavra de Deus nesses assuntos.


Estaremos tratando de cinco pontos principais, relacionados com finanças e terminaremos com algumas dicas para que o nosso planejamento seja bem sucedido.

Nosso primeiro ponto é “A Vida em uma Sociedade de Consumo”. Esta é uma realidade presente: a quase totalidade de nossa sociedade parece existir apenas para consumir. A estrutura de vida, centrada nos meios de comunicação, enfatiza o consumo em todos os momentos. O Apelo da Propaganda:

Nós achamos que nos conhecemos, mas os produtores e a cadeia de distribuição nos conhecem muito melhor, observam nossos hábitos, para onde olhamos, o que olhamos, o que desperta mais atenção, gôndolas na fila do caixa. disputa pelos melhores espaços. Necessidade ou Engodo? Tudo é feito para nos fazer consumir mais e o que não precisamos.

A propaganda faz com que tenhamos ou sintamos a necessidade de consumir ou usar um produto. Quando compramos a margarina, “compramos” a família feliz, quando compramos o carro, compramos a liberdade, etc. Comprar com fome, compramos mais. Levar a lista e pronto, resistir as provocações.

No livro “Sem logo – a tirania das marcas num planeta vendido” fala sobre usuários de marcas famosas que passaram a ser manequins ambulantes, ostentando a marca em suas camisas, óculos, bolsas, etc. Manequins sem Remuneração. As pessoas passaram a ser a marca que usam ou que vestem. O chique é usar Nike, Misuno. A propaganda nos induz a comprar produtos como o vídeo, DVD, e gastamos nossa energia para comprar.

Somos mais felizes em ter isto? Nos dá mais conforto? Vale a pena? Estamos realmente melhorando a nossa qualidade de vida, criando problemas financeiros, sucumbindo a esses apelos? A Escritura nos ensina que ceder ao apelo e a aparência de uma coisa atrativa, pode levar a problemas futuros:

Pv 23.31 e 32 – “Não olhes para o vinho quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente. No seu fim morderá como a cobra, e como o basilisco picará”

Existe um exercício que sempre precisamos fazer antes de comprar. Ele faz com que aprendamos a dominar nossos impulsos. Faça a você mesmo, estas perguntas:

• Preciso mesmo? É uma necessidade real, ou estou “caindo” na tentação do consumo? Será que estou comprando só “porque alguém tem” e acho que eu preciso ter, também? Vou melhorar mesmo minha qualidade de vida, ou ficar angustiado com esta compra?

• Tenho o dinheiro? Fiz uma verificação criteriosa do que disponho? Vou me endividar, para adquirir isto? O dinheiro aplicado nisto vai fazer falta em algum outro item de necessidade?

• Preciso agora, ou posso adiar? A necessidade é para já, ou estou antecipando algo que pode esperar? O que vai acontecer, hoje, nesta semana, durante o mês, se eu não fizer esta compra? Até quando posso ficar sem este item? Você já percebeu que quando entra numa loja você já está vulnerável, quando pergunta o preço você está a um passo da compra. Você está seguindo uma lista de compras, bem pensada, ou só o impulso? Se sentir o impulso, RESISTA! – Volte amanhã. Não se impressione com a informação de que “é a última peça”.

A Bíblia também fala com pertinência a essas perguntas do exercício, enfatizando que devemos enfatizar as necessidades básicas de nossa vida, contentar-nos com o que temos, sob pena de passarmos necessidades. Vejam esses versos:

• Mt 6.25 – “Por isso vos digo: Não estejais ansiosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer, ou pelo que haveis de beber; nem, quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que o vestuário?” 

• Pv 21.17 – “Quem se entrega aos prazeres, passará necessidade…” 

• Hb 13.5 – “Conservem-se livres do amor ao dinheiro e contentem-se com o que vocês têm…”

Um segundo ponto que necessita ser abordado e que é parte integrante desta sociedade de Consumo, é “A Facilidade do financiamento”. Queremos destacar três pontos, aqui:

1. Somos Compradores de bens ou de dinheiro? Você sabia que as grandes lojas podem ganhar mais no financiamento do que na venda propriamente dita? É uma alegria – todos ganham e você paga. Já notou como é impossível comprar à vista em algumas lojas – Por que será?

2. A Multiplicação dos Carnês. Prestações são como filhotes, para onde você vai elas podem formar fila atrás de você. O carnê, o boleto, o cartão, enfim, você não resistiu e antecipou a compra e agora vai pagar mais por mais tempo, não termina nunca. O bem já perdeu a emoção e continuamos pagando. Algumas lojas não recebem o pagamento na rede bancária. Isso força com que você volte à mesma loja, várias vezes, para pagar o seu carnê. O caixa, fica no fundo da loja. Enquanto você caminha, encontra grandes cartazes dizendo: “Não precisa terminar de pagar sua última compra para fazer outra”. A mensagem não escrita é: “continue endividado, dependendo de nós…”

3. A mágica do dinheiro de plástico. Chamamos os cartões de crédito de “dinheiro de plástico”. Em algumas sociedades você não consegue quase existir sem possuir um. Além da fácil disponibilidade, eles são frequentemente enviados sem solicitação. Os cartões de crédito ganham muito dinheiro com os juros – o parcelamento é automático, eles já informam qual é o valor mínimo. No mês seguinte, se já era difícil, vai ficar pior, pois os juros são absurdamente altos. A Bíblia traz restrições à vida sob financiamento constante, como princípio. Por que será que Deus deu esta diretriz, em Deuteronômio 28.12? “O Senhor te abrirá o seu bom tesouro, o céu, para dar à tua terra a chuva no seu tempo, e para abençoar todas as obras das tuas mãos; e emprestarás a muitas nações, porém tu não tomarás emprestado”. 

A questão dos juros, em empréstimos é tão importante, que nos leva ao terceiro ponto:

3. Em terceiro lugar, queremos enfatizar “A Armadilha dos Juros”. Vamos ver dois pontos, nesta área:

3.1 Você sabe mesmo qual o valor dos JUROS, no nosso país? Atualmente – 16,09% ao mês (300% ao ano)! Muito maior que aquilo que podemos ganhar com aplicações financeiras. Outras formas de financiamento têm taxas igualmente elevadas: cheque especial; financeiras que colam suas propostas em postes, nos ônibus e levam seus cheques pré-datados; agiotas, então, nem falar – sugam até a última gota de sangue.

A Bíblia tem uma visão bem peculiar à questão de juros (lembrando que foi escrita em uma era sem inflação, onde a moeda, às vezes, era a troca de bens). Ela compara juros extorsivos à iniquidade. Por que será? Veja Ezequiel 18.17, dizendo ao que cobra juros: “ […] que aparte da iniquidade a sua mão, que não receba usura nem mais do que emprestou, que observe as minhas ordenanças e ande nos meus estatutos…”. 

3.2. Em vez de pagar juros, poupe! No caso de financiamento de bens, pelas lojas – não se iluda! Se você somar as parcelas e calcular a diferença como juros, você está errado. Não se esqueça que você amortiza sua conta todo o mês, portanto os juros são muito maiores. Portanto, se deixarmos de comprar e pagar os juros, podemos economizar. O contrário de tomar emprestado e financiar, é poupar.

Siga o exemplo dos imigrantes: poupe! Uma vez, perguntei ao meu pai, um homem simples, trabalhador, honesto, português, porque grande parte dos imigrantes conseguiu juntar dinheiro, se estabelecer nos negócios. Ele me disse que, quando chegam, muitas vezes não tem família ou amigos, se ficarem doentes não tem quem os ajude e a única segurança é juntar algum dinheiro. O mesmo acontece com os brasileiros que vão para o Japão, e passam a viver em uma outra cultura. Trabalham muito e consomem o mínimo só para sobreviver e conseguem economizar e enviar dinheiro para o seu país de origem. Não faz sentido suar a camisa, trabalhar até tarde para pagar juros – você não acrescenta nada à sua vida, ao seu bem-estar. Sua qualidade de vida não melhorou um centímetro. Além disso, poupar é um princípio bíblico. Veja Provérbios 13.11: “O dinheiro ganho com desonestidade diminuirá, mas quem o ajunta aos poucos terá cada vez mais”.

4. “A Necessidade do Planejamento Financeiro” – Este é o nosso quarto ponto.

4.1. Planejar não é falta de dependência em Deus – precisamos nos organizar.
Por que somos avessos ao planejamento? Às vezes, em círculos cristãos, cria-se até a ideia de que planejar não é uma “atividade espiritual”; que é falta de confiança que Deus proverá o amanhã. Nada mais longe da verdade. Organização é boa mordomia. Jetro ensinou Moisés (refletindo orientação divina) a se organizar. Não podemos conceber nada mais planejado e organizado do que o culto no Antigo Testamento. Sabemos que as cerimônias e leis religiosas não são aplicáveis aos nosso dias, mas não podemos dizer que Deus é avesso ao planejamento e organização. Veja os planos de Batalha, comandados por Deus à Josué (Js 1) para a conquista da Terra Prometida! Haja planejamento e organização. Na área financeira, não é diferente. Precisamos mesmo nos organizar – saber quanto recebemos e qual é a nossa despesa do mês, inclusive para os imprevistos.

4.2. A realidade é, que a Bíblia ensina planejamento. Destacamos, pelo menos, dois trechos. O primeiro, está em Lucas 14.28, e fala, aprovando, sobre um homem que se prepara para construir e se planeja para esta operação, calculando todos os custos FUTUROS da construção. A passagem diz que o que não faz isso, faz papel de tolo e se envergonhará dos comentários que serão feitos sobre ele. O segundo, está em Tiago 4.13-15. A primeira vista, ele parece ser contra planejamento. Mas ele fala de planejamento errado, quando é feito na autossuficiência humana, pois não sabemos o dia de amanhã. Entretanto, o trecho indica que devemos planejar, sim, quando o fazemos conscientes da soberania divina e dependentes dela – submissos à sua vontade – “se Deus quiser”.

Ainda dentro da necessidade de planejar nossa vida financeira, gostaria de sugerir uma ferramenta importante: O recurso DAS DUAS LISTAS. Faça duas listas – uma para as necessidades básicas e outra para outras despesas – estas listas podem servir para você atingir alguns objetivos em seu planejamento e para você economizar, em seus gastos. Depois, tudo isso pode ser colocado em forma de cronograma. Existe uma lei para importância dos assuntos e do tempo que também pode ser aplicado ao dinheiro que é uma das “leis de Parkinson” – gastamos todo o dinheiro que ganhamos. Precisamos tentar constituir uma reserva para eventualidades. É difícil, mas precisamos nos esforçar.

5. A bênção da contribuição e da generosidade!

5.1 Fuja do “saco furado”: Reconheça concretamente que Deus é o proprietário de tudo, contribuindo. Já que estamos falando de dinheiro e planejamento financeiro, não poderíamos deixar de abordar a questão do dízimo e da generosidade. Duas áreas onde a palavra de Deus fala sobre o contribuir e sobre beneficência. Reagimos, com razão, contra a chamada “teologia da prosperidade”. Não fazemos barganhas com Deus os motivos de contribuição não são os nossos anseios materiais, carro importado do ano, roupas caras, viagens internacionais e coisas semelhantes. Entretanto, é um erro desconhecermos que Deus nos abençoa, também, na esfera material. Quando não o honramos com nossas finanças, tudo parece dar errado. Parece que estamos tentando encher um saco que está furado e nunca fica cheio… A Bíblia ensina o dízimo como um forma de contribuição simbólica do reconhecimento que devemos a Deus de que a ele pertence tudo, e que somos apenas mordomos abençoados em sua criação.

No Novo Testamento, Paulo ensina que a nossa contribuição deve ser proporcional à nossa renda. Ag 1.5-6 – “Ora pois, assim diz o Senhor dos exércitos: Considerai os vossos caminhos. Tendes semeado muito, e recolhido pouco; comeis, mas não vos fartais; bebeis, mas não vos saciais; vestis-vos, mas ninguém se aquece; e o que recebe salário, recebe-o para o meter num saco furado”.

1 Co 16.1-2 – “…no primeiro dia da semana cada um de vocês separe uma quantia, de acordo com a sua renda…” 

5.3 Além da responsabilidade com o dízimo, a Bíblia chama a nossa atenção para com a generosidade; com a beneficência. O cuidado com nossas finanças, o planejamento do nosso dinheiro, não deve nos levar a sermos insensíveis para com as necessidades do próximo. Na realidade, Deus promete recompensar o generoso e Paulo ensina que um dos propósitos de termos trabalho é “ter o que repartir com quem estiver em necessidade”! Vejamos três trechos da Palavra de Deus:

• Ef 4.28 – “O que furtava não furte mais; antes trabalhe, fazendo algo de útil com as mãos, para que tenha o que repartir com quem estiver em necessidade” 

• 1 Tm 6.18 – “Ordene-lhes que pratiquem o bem, sejam ricos em boas obras, generosos e prontos a repartir”.

• Pv 11.25 – “O generoso prosperará…” 

7 dicas para uma vida financeira saudável

1. Pechinche sempre.

2. Compare preços – remédios, supermercados, etc.

3. Preços mais baratos: frutas da época e roupas fora da época.

4. Compre sempre à vista – só use cartões de crédito se puder pagar integralmente!

5. Cuidado nos presentes. Use criatividade em vez do gasto excessivo. Controle quanto você gasta nisso.

6. Conheça suas despesas. Não deixe de registrá-las e revisá-las.


 7. A sua prioridade, o seu melhor investimento é: pagar as dívidas e não assumir outras.

Lembre-se da oração de Agur – Provérbios 30.8-9: “Mantém longe de mim a falsidade e a mentira; Não me dês nem pobreza nem riqueza; dá-me apenas o alimento necessário. Senão, tendo demais, eu te negaria e te deixaria, e diria: ‘Quem é o Senhor?’ Se eu ficasse pobre, poderia vir a roubar, desonrando assim o nome do meu Deus.”

 Fonte:Voltemos ao evangelho

Sete segredos para ser mais feliz

quinta-feira, 9 de maio de 2019



Todo ser humano busca a felicidade, porém poucos a encontram. Eu acredito que nunca teremos felicidade plena nesse mundo, somente momentos felizes.

Em João 16:33 Jesus disse: "Eu disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo".

Nossa felicidade plena só será alcançada, quando estivermos junto ao Pai. Porque lá não haverá dor, sofrimento, tristeza...foi isso que Jesus nos prometeu. Porém, há maneiras de aproveitarmos melhor esse tempo em que estivermos aqui nesse mundo, e é sobre isso que vamos conversar hoje. Trouxe sete segredos que me ajudam muito no dia a dia, para ser mais feliz.

O primeiro segredo é aprender a confiar e entregar nossos problemas a Deus, crendo que Ele está no controle de todas as coisas. Deus sempre sabe o que é melhor para nós e vai fazer com que tudo contribua para o nosso crescimento como seres humanos Quando entregamos nossos problemas a Deus, temos menos ansiedade e estresse.


O segundo segredo é ter um tempo de oração com Deus. Nós precisamos ter intimidade com o Pai. Isso só nos acrescenta bons momentos. Separe um dia somente para agradecer, cante louvores de adoração, você verá o quanto seu dia será mais feliz

O terceiro segredo é ser grato. A gratidão já foi comprovada que é o melhor remédio contra a depressão. A gratidão deve ser praticada até virar um hábito. Houve uma época em que eu murmurava sempre e vivia insatisfeita comigo mesma e com tudo ao meu redor. Quando passei a praticar o hábito de buscar algo para agradecer a Deus todos os dias, aprendi a ser mais grata por tudo e consequentemente sou muito mais feliz hoje, do que quando vivia murmurando.

O quarto segredo é viver mais o mundo real do que o virtual. Nas redes sociais todo mundo é feliz, viajam para diversos lugares maravilhosos, vivem em casas dos sonhos e relacionamentos perfeitos, parecem não ter problemas. E sabemos que isso não é verdade, mas quando começamos a ver isso todos os dias, nosso cérebro começa subliminarmente a questionar nossa vida não perfeita. Por isso sempre insisto que invistamos mais tempo na vida real do que na virtual. Procure passar mais tempo com sua família e amigos, assista bons filmes, ouça louvores de adoração, leia bons livros, passeie de bicicleta pelo seu bairro, Há tantas coisas boas a se fazer ao invés de ficar trancado no quarto com o celular na mão...

O quinto segredo é observar a natureza ao seu redor. Há um tempo eu comecei a prestar mais atenção na natureza. Moro em área urbana, mas isso não me impede de procurar flores pelo caminho, me encantar com os pássaros cantando, parar para contemplar o amanhecer ou entardecer (é sempre um espetáculo imperdível!). Gosto de observar a lua à noite em suas diversas fases. Enfim, Deus nos presenteia todos os dias com coisas bonitas, mas nem damos o devido valor. Quando passamos a observar melhor ao nosso redor, em busca da natureza, vemos a grandeza de nosso Deus e nos damos conta do quanto Ele é maravilhoso e isso nos dá felicidade.

Lembre-se do salmo 8 3-6 Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que estabeleceste,  que é o homem, para que te lembres dele? e o filho do homem, para que o visites?  

O sexto segredo é passar mais momentos de contato físico, com sua família e amigos. Com as redes sociais, acabamos limitando nossos relacionamentos com a família e amigos a mensagens por wathsapp, com figuras de bom dia ou frases de otimismo. As vezes até dentro de casa é mais fácil passar uma mensagem perguntando algo, do que levantar e ir até a pessoa para falar. Isso é ruim, porque afasta o contato físico, o olho no olho, o sorriso, a palavra suave. O que é melhor, ouvir um bom dia sorridente da pessoa que você gosta ou uma figurinha no celular? Esqueça o cansaço e procure falar com sua família e amigos face a face. Dê mais abraços, mais sorrisos e palavras amáveis que transformam o dia das pessoas.

 Por fim, o sétimo segredo é não se comparar a ninguém. A comparação é semelhante ao pecado da cobiça, e infringe o décimo mandamento que diz: “Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo.” Exodo 3:17 Portanto, antes de comparar as coisas dos outros com as suas, lembre-se que isso infringe a Lei de Deus.

A comparação traz insatisfação e angústia, pois ao olharmos para o que o outro tem que não temos, cometemos o erro de acharmos que por termos menos, não somos merecedores. Esses segredos eu fui aprendendo com o tempo, e você pode começar a praticar a partir de hoje e irá desfrutar de mais momentos felizes em sua vida.


 

Você vai ao culto para receber ou oferecer?

segunda-feira, 6 de maio de 2019




Muitas igrejas hoje em dia estão voltadas às campanhas. Em sua maioria, essas campanhas são feitas para obter algum favor de Deus. Seja uma benção material, cura, libertação...sempre há algo a ser pedido. Não é errado pedir algo a Deus, Ele mesmo disse em Lucas 11:9  E eu vos digo a vós: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis...” Porém, quando o foco principal de um culto, se torna o “pedir”, deixando de lado o “adorar”, aí sim precisamos repensar certas coisas.

 Deus é digno de todo louvor e adoração. Ao irmos à igreja prestar culto à Ele, acredita-se que o culto será de louvor e adoração à Ele, correto? Mas não é o que vemos na maioria dos cultos atualmente. Prega-se pouco a Bíblia, o louvor é mais voltado à engrandecer o homem do que a Deus...(se a música conter mais de dez palavras dizendo “eu ou para mim”, creio que deixa de ser louvor a Deus).
Há também no meio pentecostal a parte do “entrar em mistérios”, que não irei comentar aqui, porque merece um post só para isso. Enfim, precisamos pensar porque estamos indo à igreja. Oferecer culto a Deus ou receber algo Dele?

Quem presta culto a Deus somos nós, então o culto deve ser feito por nós e não esperar que Deus fale conosco, que Deus atenda nossos pedidos, que Deus faça nossa vontade. É muito triste um povo que só pensa em receber de Deus.

Um povo que é incapaz de agradecer, de adorar simplesmente, sem pedir nada em troca. Em João 4:23 diz que: Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. O Senhor tem procurado adoradores e não pedintes!

Vamos pensar nisso, porque é muito sério. A bíblia diz também em Mateus 6:33 Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas.

Se queremos bençãos é necessário primeiro que busquemos o reino, depois as bençãos virão como consequência. Quando for ao culto da próxima vez, pense mais em oferecer um culto agradável a Deus, do que pedir algo à Ele.


 

Livre-se da ansiedade

sexta-feira, 3 de maio de 2019



A ansiedade gera diversos tipos de doenças, inclusive a depressão. Quando estamos ansiosos, não conseguimos aquietar nossa mente, não conseguimos dormir direito e consequentemente nosso corpo começa a entrar em colapso. Crises de ansiedade causam grande sofrimento àqueles que a tem. O grande mal que enfrentamos hoje em dia é referente à ansiedade. Parece que vivemos numa roda viva, nossa mente precisa estar em frequente atividade e isso causa grande ansiedade. Dizemos que não temos tempo, quando mais da metade do nosso tempo é dedicado às redes sociais.

Vivemos na ânsia frenética de estarmos “conectados” com outras pessoas, e no fim do dia a sensação é de cansaço e frustração.

Quando foi a última vez que você deixou o celular para ter um momento só seu, de quietude na mente, com meditação na palavra de Deus ou simplesmente tomando um café ou suco, sozinho, quieto ou conversando com Deus?

 Porque nossa mente precisa estar ocupada o tempo todo?
Você já parou pra pensar sobre isso?

Pois a palavra de Deus fala sobre isso em Filipenses 4:6-7 Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças; e a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus.

Esses dias eu estava tão ansiosa que mal conseguia dormir. Quando eu ia orar, acabava nem terminando minha oração, já preocupada com outras coisas. De repente me dei conta do que estava acontecendo. Parei um dia, deixei o celular de lado, comecei a “reduzir a velocidade” dos meus pensamentos. Escolhi um versículo e comecei a meditar nele a manhã toda. Pensei e repensei devagar sobre aquele versículo.

 Amados, precisamos nos “conectar” mais com Deus do que com a internet! Quando me dei conta disso, do que eu estava fazendo com meu tempo, eu entendi que estava indo por um caminho perigoso. Estava ansiosa e frustrada comigo mesma, com a falta de tempo, com a correrria do dia a dia...isso estava me deixando depressiva.

 Quando eu parei tudo e passei a meditar na palavra de Deus, a reservar um tempo para me desligar das redes sociais e me conectar com meu Deus, eu senti uma paz tão grande, meu coração se encheu de alegria, foi como se eu encontrasse o colo do meu Pai. Encontrado aquele aconchego que havia muito tempo não sentia em minha vida!

A paz que excede todo o entendimento invadiu meu coração e mente...foi simplesmente maravilhoso!
Naquela noite dormi como uma criança, quando há muito tempo não dormia. Veja que no versículo 7 diz que a paz que excede todo o entendimento guardará nosso coração e mente. Foi exatamente isso que me aconteceu. Toda fonte de amargura, depressão, raiva, ódio procedem de nosso coração e mente.

Quando nos conectamos com Deus, Ele guarda nosso coração e mente desses sentimentos ruins. Ele nos livra de toda doença relacionada à ansiedade. É essa a promessa contida nesse versículo! Pare agora com toda ansiedade, entregue tudo ao Senhor, confie Nele, confie que Ele está no controle de sua vida. E Ele te encherá de paz e alegria.


  .